Carregando o site...

Ninguém está acima da lei

Ninguém está acima da lei

Por: Vem Pra Rua

O Brasil deve se orgulhar da independência do Poder Judiciário. Esse é um dos pilares do Estado Democrático de Direito e está sendo atacado pelo ex-Presidente Lula a partir de uma estratégia de marketing que pretende colocá-lo como vítima de uma caçada judicial, como se não ele pudesse ser investigado.

Não existe imunidade nem foro privilegiado para o cargo de ex-Presidente da República Federativa do Brasil, sendo indiscutível que um chefe maior do Estado deve ser um exemplo para a nação, ainda mais com 40 anos de vida pública. É lamentável que se pretenda aproveitar do fato de Lula ser ex-Presidente da República para promover uma campanha de desmoralização da Democracia com repercussão internacional, atacando a soberania do Brasil.

O que se pretende é desviar a atenção e repetir mentiras para criar uma fantasiosa versão de injustiça e perseguição ao ex-presidente. Lula é réu desde 29 de julho de 2016, quando foi formalmente aceita a denúncia por tentativa de obstrução da Justiça pelo juiz da 10ª. Vara Federal de Brasília. Além disso, em 16 de agosto de 2016, o Ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a investigação da presidente afastada Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula, dos ex-ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Aloizio Mercadante (Casa Civil), do presidente do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão, do ministro do STJ Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e do ex-senador Delcídio do Amaral, por suposta obstrução às investigações da operação Lava Jato. A investigação atende pedido do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Nada está sendo realizado sem obedecer a lei e sem a autorização do Poder Judiciário. Portanto, é mentirosa a afirmação que existe uma caçada judicial e parcialidade do Juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava Jato, que também investiga, segundo suspeita do Ministério Público Federal, que Lula tenha se beneficiado de propina oriunda da Petrobras num esquema de corrupção. O drama do ex-presidente Lula decorre do fato de que há muitas questões, diversas, que não estão somente sob o comando do Juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava Jato. Além disso, sobre a referida operação, todas as instâncias judiciais até o Supremo Tribunal Federal, confirmaram a competência do Juiz Sérgio Moro para julgar os processos decorrentes das investigações sobre o esquema de corrupção da Petrobras. Assim, não se trata somente do ex-presidente Lula, mas de todos os envolvidos, investigados e denunciados pelo Ministério Público, com a garantia do direito de defesa e do contraditório, e devidamente representados por seus advogados. Não existe violação ao direito ao juiz natural, sendo certo que a defesa do ex-presidente Lula perdeu na Justiça, em todas as instâncias, e agora pretende que a ONU promova uma interferência no Brasil, o que sequer é possível, demonstrando que se trata somente de um instrumento de pressão e uma estratégia para tentar um tratamento diferenciado pela Justiça.

A liberdade de imprensa, ao lado da autonomia do Poder Judiciário, garante a Democracia. Cabe e sempre caberá à imprensa, com responsabilidade, informar e divulgar as acusações e os argumentos de defesa. Quem é acusado tem o direito sagrado de defender-se e de ser indenizado contra a difamação. A verdade sobre as alegações contra Lula não será aquela que consta de uma panfletária cartilha de defesa unilateral, mas sim aquela que será revelada pelo Poder Judiciário. Esse é um capítulo da História do Brasil que está sendo escrito. O Vem pra Rua e a sociedade brasileira querem o resgate do verdadeiro sentido de espírito público e de Pátria, pois não existe brasileiro acima da lei.

Contribua para um país sem corrupção

JUNTE-SE A NÓS